Wilton Junior / Estadão
Wilton Junior / Estadão

Witzel defende maior liberdade de ação das polícias

Estado do Rio teve queda recorde de homicídios, mas atingiu número mais alto de mortes por policiais

Francisco Carlos de Assis, O Estado de S.Paulo

27 de novembro de 2019 | 15h10

SÃO PAULO - O governador do Rio, Wilson Witzel (PSC), defendeu nesta quarta-feira, 27, que as polícias militares e civis tenham, por parte dos governos, garantias de que não serão punidos no exercício do dever. Witzel discursou para uma plateia de delegados e policiais federais e civis no II Fórum Nacional da Inteligência Aplicada para o Combate à Criminalidade, em São Paulo. 

"No meu Estado, dou esta garantia (de dar maior autonomia) aos policiais", disse Witzel, para quem esta decisão de maior autonomia das polícias tem de ser um projeto de Estado e não apenas de governo. O governador ainda destacou resultados de dez meses de gestão no Rio, como o menor número de homicídios para o período desde 1991.  "A maior liberdade de ação das polícias está dando resultado em todo o País", acrescentou.

Por outro lado, a letalidade da polícia fluminense bateu recorde na série histórica, que se iniciou em 1998. De janeiro a outubro deste ano, 1.546 civis foram mortos em confrontos com as polícias. Já é maior do que os 1.534 óbitos registrados em 2018, que era o recorde até então

Witzel defende o confronto com criminosos e advoga a ação de atiradores de elite. Em entrevista ao Estado antes da posse, afirmou que esses snipers atirariam “na cabecinha” dos bandidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.