Polícia Militar do Rio
Polícia Militar do Rio

Quatro criminosos são presos e quatro ficam feridos em operação na Cidade de Deus no Rio

Policiais entraram na comunidade em busca dos responsáveis pela morte de um PM na manhã desta quinta-feira e Linha Amarela foi fechada; além de pânico à população, operação policial no Complexo do Lins também interditou a Autoestrada Grajaú-Jacarepaguá

Renata Okumura, Roberta Jansen e Paulo Roberto Netto, O Estado de S.Paulo

03 Maio 2018 | 09h43
Atualizado 03 Maio 2018 | 13h00

SÃO PAULO E RIO - Operações policiais realizadas na manhã desta quinta-feira, 3, na Cidade de Deus, na zona oeste do Rio, e no Complexo do Lins, na zona norte da cidade, levaram pânico aos moradores das comunidades e fecharam duas importantes vias de acesso à cidade, a Linha Amarela e a Autoestrada Grajaú-Jacarepaguá. Ainda nesta manhã, um policial foi morto e um segundo ficou ferido durante operação policial na Cidade de Deus.

A operação começou bem cedo, com policiais do Comando de Operações Especiais (COE) da PM, do 18ºBPM (Jacarepaguá) e da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Cidade de Deus, que entraram na comunidade em busca dos responsáveis pela morte do capitão da PM Stefan Cruz Contreiras, de 36 anos, morto por volta das 6h50 desta quinta-feira.

O policial militar trafegava em sua moto pela Avenida Geremário Dantas, na altura da Estrada do Capenha, no bairro Pechincha, quando foi abordado por criminosos em uma moto durante tentativa de roubo. Houve confronto e o policial foi ferido, mas não resistiu e faleceu no local. Ele estava na Corporação desde 2002, era lotado no 18ºBPM e deixa esposa.

Um vídeo, que já circula na internet, mostra um outro PM sendo atingido na Cidade de Deus e socorrido por colegas. Ele foi encaminhado ao Hospital Municipal Lourenço Jorge (HMLJ), onde recebeu atendimento médico e apresenta quadro estável.

A Polícia Militar do Rio de Janeiro também prendeu quatro criminosos durante operação policial na comunidade Cidade de Deus. Durante tiroteio e confronto com policiais, quatro bandidos ficaram feridos e foram socorridos ao HMLJ. A polícia também apreendeu dois fuzis de guerra, quatro pistolas e rádios transmissores.

"Equipes do Batalhão de Ações com Cães (BAC), Batalhão de Polícia de Choque (BPChq) e do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) estão atuando no local. O Grupamento Aeromóvel realiza o monitoramento aéreo da região", destacou a nota.

Por volta das 9h30, a Linha Amarela foi fechada nos dois sentidos durante 30 minutos. Pouco depois das 10h, ela voltou a ser fechada. A via apenas foi liberada por volta das 11h30. Autoridades orientaram as pessoas a evitarem a via expressa - que liga a Barra da Tijuca à Avenida Brasil -, cortando vários bairros da zona oeste e da zona norte. Cenas de pânico foram registradas na pista, com pessoas deixando os carros e se escondendo dos tiros nos alambrados.

Policiais militares do Batalhão de Policiamento em Vias Expressas (BPVE) permanecem na Linha Amarela para resguardar a segurança de usuários da via.

O trânsito foi desviado para a saída 1B, Geremário Dantas, no entanto, a concessionária orientou motoristas a evitarem o local.

Moradores relataram nas redes sociais que há risco de balas perdidas na favela Cidade de Deus, em razão de possível confronto entre bandidos e policiais. 

+++ Cidade de Deus lidera ranking de tiroteios no Rio de Janeiro: 41

A interdição na Linha Amarela também provocou lentidão na Avenida Ayrton Senna, no sentido de Jacarepaguá, desde o Via Parque.

Além da Linha Amarela, a Autoestrada Grajaú-Jacarepaguá, que liga as zonas norte e oeste do Rio, também foi interditada na manhã desta quinta-feira, por causa de uma operação policial contra o tráfico de drogas no Complexo do Lins. A ação foi planejada em virtude dos últimos ataques aos policiais que atuam naquela região. Um PM foi ferido por estilhaços nesta operação e levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier. O quadro de saúde dele está estável. Por volta das 11 horas, a via foi liberada. 

O Centro de Operações do Rio orientou os motoristas a utilizarem rotas alternativas como o Alto da Boa Vista e a Lagoa-Barra.

MORTE DE POLICIAIS

Além do capitão da PM Stefan Cruz Contreiras, de 36 anos, que morreu nesta quinta-feira, durante operação policial na comunidade Cidade de Deus, na quarta-feira, 2, o sargento Luiz Alves de Carvalho Filho, do 21º BPM, foi encontrado morto no interior do próprio carro em Duque de Caxias. O Departamento de Homicídios da Baixada Fluminense investiga o caso.

No dia 28 de abril, o sargento Carlos Eduardo Gomes Cardoso, de 36 anos, também foi morto durante uma operação na comunidade Bateau Mouche, em Jacarepaguá. O sargento chegou a ser levado para o Hospital Lourenço Jorge, na Barra, mas não resistiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.