Moradores e empresas realizam trabalho de zeladoria na capital paulista
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Moradores e empresas realizam trabalho de zeladoria na capital paulista

São Paulo completa 465 anos nesta sexta-feira; Blitz Estadão destaca melhorias em prol da população

Renata Okumura

24 Janeiro 2019 | 17h34

SÃO PAULO – Diariamente o Blog Blitz Estadão recebe queixas de buracos, alagamentos, semáforos quebrados, falta de segurança, saúde e educação. Nesta sexta-feira, 25, a capital paulista completa 465 anos, em sua homenagem destaque para iniciativas positivas de moradores e de empresas privadas em benefício dos paulistanos.

Em alguns canteiros de avenidas e praças é possível observar a existência de placas indicando que uma Organização Não Governamental (ONG), uma empresa ou mesmo moradores realizam trabalho de conservação. Áreas verdes e que muitas vezes contam com espaço para lazer.

“A iniciativa deveria ser expandida para muitas praças que hoje estão abandonadas e poderiam ser bem cuidadas e aproveitadas pelas pessoas. Mato alto, falta de limpeza e até equipamentos de ginástica quebrados”, disse a administradora Cíntia Lima.

Praça Homero Silva Foto: Renata Okumura

Na região da Pompeia, moradores tomam conta da Praça Homero Silva. No local, há um lago, plantas bem cuidadas e bancos. O gramado também está baixo. Espaço agradável para passar um fim de tarde.

Na Avenida Águia de Haia, na zona leste, há um canteiro central. Em alguns pontos, predomina o excesso de entulho, mas em alguns trechos há placas sinalizando que empresas da região tomam conta do local, como é o caso de um trecho que está com o mato baixo e sem lixo, e está sob responsabilidade de um Pet Shop da região.

Algumas empresas também aproveitam para adotar uma praça e realizar ações socioeducativas no local. Antes, realizam o plantio de árvores e investem no restauro de equipamentos. “A adoção das praças promove a participação da sociedade no cuidado e manutenção dessas áreas públicas e incentiva que façam bom uso delas”, destacou o presidente da Central Nacional Unimed, Alexandre Ruschi, empresa responsável pela zeladoria das Praças Nossa Senhora da Aparecida, em Moema, e General Costa Barreto, no Tatuapé.

Praça Nossa Senhora da Aparecida, em Moema; ao pedalar, liquidificador faz suco Foto: Divulgação/ CNU

Segundo ele, o objetivo é promover bons hábitos. As iniciativas envolveram doação de livros e prática de atividade física.

“Um único hábito que seja mudado, como subir escadas, por exemplo, significa melhorias no condicionamento físico. Além disso, a pessoa passa a adotar essa iniciativa em outros locais, além do metrô e praças, e incentivar mais pessoas a fazerem o mesmo”, espera Ruschi.

A Prefeitura de São Paulo informa que o Programa ‘Adote Uma Praça’ tem o objetivo de viabilizar parcerias com a sociedade civil, visando o aprimoramento da conservação, execução e manutenção de melhorias urbanas, ambientais e paisagísticas de praças e de áreas verdes do Município com área de até 10 mil m².

Hoje, em São Paulo, há 984 áreas adotadas. Ainda assim, os serviços de zeladoria em praças são realizados pelas equipes das 32 subprefeituras.

Toda pessoa, física ou jurídica, que tem uma área verde sob seus cuidados, tem o direito de associar seu nome, de sua empresa ou estabelecimento comercial a uma boa causa.

Os locais “adotados” recebem placa ou placas (conforme o tamanho da área), com padrões previstos na legislação municipal.

Em meio a tantas notícias negativas no dia a dia, o Blog Blitz Estadão vai dar espaço para os bons exemplos de cidadania. Tem alguma iniciativa em seu bairro que vale destacar? Mande seu relato por WhatsApp (11) 9 7069-8639 ou para o email blitzestadao@estadao.com.

Mais conteúdo sobre:

Blitz EstadãoPraças