Thiago Ribeiro/Estadão
Thiago Ribeiro/Estadão

Balão ou curto-circuito pode ser causa de incêndio no Museu Nacional; PF entra na investigação

Informação sobre hipóteses foi dada ao 'Estado' pelo ministro da Cultura Sérgio Sá Leitão

Ana Paula Niederauer e Ubiratan Brasil, O Estado de S.Paulo

03 Setembro 2018 | 09h50

SÃO PAULO - O ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, afirmou que o incêndio de grandes proporções que destruiu o Museu Nacional, na zona norte do Rio, na noite deste domingo, 2, é uma "tragédia incomensurável". Ao Estado, ele afirmou que há duas possibilidades sobre as causas do incêndio em investigação: o fogo pode ter sido causado por um balão ou por um curto-circuito. A Polícia Federal já entrou nas investigações.

"Parece que o fogo começou por cima, no alto, e foi descendo. O Museu Nacional já estava fechado (na hora do fogo), a brigada de incêndio não estava mais lá e havia apenas quatro vigias. Como o fogo começou em cima e na parte de trás, os vigias demoraram para perceber o incêndio. Quando perceberam, já não era mais possível que fizessem alguma coisa", lamentou Leitão, mais cedo, na Rádio Eldorado.

O ministro afirmou ainda ser fundamental uma apuração rigorosa em relação às causas do incêndio. Segundo Leitão, parte do acervo que estava fora do Palácio foi preservada. Técnicos estão estimando o que foi possível recuperar.

"É preciso dizer que uma parte do Museu que fica no Horto como a botânica, biblioteca central que tem cerca de 500 mil volumes, parte da coleção de arqueologia e uma parte de coleção de vertebrados foram preservados", explicou Leitão.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.