Reuters
Reuters

Ex-diretor de escola do DF é preso suspeito de estuprar crianças

Investigações apontam que homem abusou de ao menos 11 vítimas neste ano; na casa dele, polícia apreendeu HDs e vídeos

Lígia Formenti, O Estado de S.Paulo

06 Outubro 2017 | 17h53

BRASÍLIA - A Polícia Civil do Distrito Federal prendeu o ex-diretor de uma escola de Ceilândia, cidade satélite de Brasília, suspeito de estuprar crianças e adolescentes. De acordo com a polícia, os abusos foram filmados e compartilhados pela internet. As investigações indicam que neste ano foram pelo menos 11 vítimas. 

+++ Estudante de Medicina é preso por pedofilia no RS 

+++ Padre preso por pedofilia em SC oferecia celulares e bebidas a adolescentes

As suspeitas surgiram em 2015, quando o ex-diretor foi preso por receptação de veículo roubado. O celular apreendido com ele trazia fotos de crianças e adolescentes. Em maio deste ano, a Justiça autorizou nova busca em sua casa. Diante do material encontrado, ele foi preso em flagrante. Foram encontrados HDs e vídeos com imagens sexuais. Com as investigações, foram identificados abusos cometidos desde a década de 1990.

+++ Prefeito de cidade da Grande BH é preso acusado de pedofilia

O delegado do 24º Distrito Policial, Ricardo Viana, informou que nove crianças cooptadas foram identificadas. Há ainda vítimas que não foram localizadas. Policiais chegaram a duas das vítimas, dois adultos com idade de 30 e 31 anos.

+++ Interação de criança com homem nu gera polêmica após abertura de exposição no MAM

Depois de passar pela direção da escola na década de 1990, o acusado manteve uma empresa de panfletagem e era líder espiritual. De acordo com o delegado, este é o maior arquivo já apreendido no Distrito Federal com imagens de pedofilia em uma única ação.

Há indícios de que imagens eram repassadas para outras pessoas do Distrito Federal e de outras regiões do País. A suspeita é de que o acusado cooptava as vítimas por meio de pagamento de pequenas quantias em dinheiro. Em alguns casos, as fotos eram feitas em troca de lanches.

+++ Brasileiro pode pegar 10 anos de prisão por pedofilia na Itália

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.