EFE/Fernando Maia-RIOTOUR
EFE/Fernando Maia-RIOTOUR

Paes cancela festa de réveillon no Rio de Janeiro

Em suas redes sociais, o prefeito do Rio de Janeiro anunciou que a festa de réveillon da cidade está cancelada. A decisão está relacionada à chegada da variante Ômicron ao País

Redação, O Estado de S.Paulo

04 de dezembro de 2021 | 08h21

Em suas redes sociais, o prefeito do Rio de Janeiro Eduardo Paes anunciou na manhã deste sábado, 4, que a festa de réveillon da cidade está cancelada. A decisão está relacionada à chegada da variante Ômicron ao País.

"Respeitamos a ciência. Como são opiniões divergentes entre comitês científicos, vamos sempre ficar com a mais restritiva.  O Comitê da prefeitura diz que pode.  O do Estado diz que não.  Então não pode.  Vamos cancelar dessa forma a celebração oficial do réveillon do Rio", escreveu o prefeito.

Paes continua o comunicado falando da tristeza em tomar essa decisão. "Tomo a decisão com tristeza mas não temos como organizar a celebração sem a garantia de todas as autoridades sanitárias.  Infelizmente não temos como organizar uma festa dessa dimensão, em que temos muitos gastos e logística envolvidos, sem o mínimo de tempo para preparação", completou.

Prefeitura e governo do Estado passaram a última semana discutindo a possibilidade de festas de fim de ano no Rio de Janeiro após a chegada da variante Ômicron. A prefeitura do Rio ampliou a abrangência do passaporte da vacina como resposta para o avanço da variante.  

Coletiva

Por volta das 10h30 deste sábado, Paes concedeu uma breve coletiva. O prefeito repetiu que a decisão de cancelar a festa foi baseada no comitê ciêntifico do Estado (que tem uma posição mais rígida em relação aos eventos públicos). Ainda assim, Paes afirmou que não existe nenhuma outra medida restritiva no horizonte. "Os turistas vacinados são muito bem-vindos por aqui", disse. Ele também elencou as atrações turísticas que continuam abertas ao público.

O prefeito disse ainda que espera que não seja necessário cancelar o carnaval na cidade em 2022. "Tomara que não precise cancelar o carnaval, pela importância da cultura e da atividade econômica"

Sobre o passaporte da vacina, Paes sugeriu que ele deveria ser parte de uma política nacional. "Mas de onde a gente menos espera é que não sai nada mesmo", disse em uma clara referência ao governo Federal. 

Nova onda 

Com a quarta onda da covid-19 na Europa e o avanço da variante Ômicron, ao menos outas 19 capitais brasileiras já cancelaram eventos públicos de Réveillon. Até a manhã deste sábado, 4, Aracaju, Belém, Belo Horizonte, Brasília, Campo Grande, Cuiabá, Florianópolis, Fortaleza, Goiânia, João Pessoa, Natal, Palmas, Porto Alegre, Recife, Salvador, São Luís, São Paulo, Teresina e Vitória anunciaram o cancelamento das festas de ano-novo.

As decisões foram anunciadas após a Organização Mundial da Saúde (OMS) enviar aos governos um alerta em que aponta risco global “muito alto” da variante Ômicron. Entretanto, o alerta da OMS ressalva que há poucas evidências concretas sobre se a nova cepa é mais transmissível ou escapa das vacinas. 

A nova cepa do vírus, detectada pela primeira vez na África do Sul, impulsionou os planos de evitar aglomerações, que já ocorriam ao longo do mês – mais de 70 municípios paulistas já haviam desistido do carnaval. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.